São Paulo usará “toda a força necessária” contra camionistas que apoiam Bolsonaro

O governador do estado brasileiro de São Paulo, Rodrigo Garcia, anunciou hoje que vai usar “toda a força necessária” contra camionistas que apoiam o Presidente, Jair Bolsonaro, e bloqueiam estradas em protesto contra a sua derrota nas eleições presidenciais. “As eleições acabaram, vivemos em um país democrático (…) Há resultado das urnas e temos um Presidente eleito, que é Lula [da Silva]”, disse Garcia num comunicado aos ?media? em São Paulo.

Desde a madrugada de segunda-feira, grupos de camionistas bloquearam várias rodovias do país por não aceitarem o resultado das eleições, que Luiz Inácio Lula da Silva venceu com 50,9% dos votos, contra 49,1% obtidos por Bolsonaro. Alguns dos bloqueios em São Paulo estão dificultando o acesso ao aeroporto de Guarulhos, que é o aeroporto mais movimentado do país, o que já causou o cancelamento de pelo menos 25 voos, segundo a concessionária do aeroporto.

Os camionistas alegam que houve fraude nas eleições presidenciais, posição que Bolsonaro defendia antes do sufrágio, pois considera, sem provas, que o sistema de votação eletrónica poderia ser manipulado. O chefe de Estado, que deixará o poder em 01 de janeiro de 2023, silenciou sobre o resultado das eleições desde que sua derrota foi oficializada na noite de domingo, aumentando a incerteza sobre qual será sua posição.

A maioria do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil endossou uma decisão anterior que ordenou o fim dos bloqueios e que Garcia cumprirá imediatamente, conforme noticiado nesta terça-feira. O governador de São Paulo, o estado mais rico e populoso do país, declarou que buscava “dialogar e negociar com aqueles manifestantes” para que desbloqueassem as estradas, mas que a partir de agora “aplicarão” o que a Justiça determinado.

Nesse contexto, anunciou “multas de 100 mil reais (quase 20 mil euros) por hora e por veículo” que estiver bloqueando as vias. Também vão acionar a Polícia Militar, cuja gestão é de responsabilidade dos governos regionais, para ?assinar? e ?prender? aqueles que ?resistirem? à desobstrução das estradas. “Vamos usar toda a força necessária”, incluindo “tropas de choque”, disse Garcia. O governador de São Paulo apoiou Bolsonaro na segunda volta das eleições presidenciais, mas foi firme em suas declarações e insistiu que “nenhuma manifestação fará a democracia retroceder.?

Garcia afirmou que “São Paulo respeita a democracia e o Estado Democrático de Direito” e não permitirá “manifestações em que os resultados das eleições não sejam reconhecidos”. Os protestos, alegadamente inorgânicos e sem líder, já foram condenados por proeminentes apoiantes de Bolsonaro ligados ao agronegócio e à indústria de transportes, como a Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA).
Entre as estradas bloqueadas encontrava-se a Via Dutra, estrada que liga o Rio de Janeiro a São Paulo e a que regista maior volume de tráfego no Brasil. A presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, responsabilizou o chefe de Estado brasileiro e acusou Bolsonaro de orientar “o caos no país”. O chefe de Estado e candidato derrotado, Jair Bolsonaro, ainda não telefonou a Lula da Silva para o felicitar e está há mais de 24 horas sem fazer qualquer declaração pública desde o anúncio do resultado das presidenciais de domingo.

Bolsonaro esteve reunido, na segunda-feira, no Palácio do Planalto, com vários ministros, mas até agora ainda não lançou qualquer informação sobre quando falará sobre as eleições presidenciais.
Com 100% dos votos contados, Luiz Inácio Lula da Silva venceu as presidenciais de domingo por uma margem estreita, recebendo 50,9% dos votos, contra 49,1% para Jair Bolsonaro, que procurava obter um novo mandato de quatro anos.

Partilhar
Definições de Cookies

A Rádio 94FM pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.
Estes cookies são necessários para permitir a funcionalidade principal do site e são ativados automaticamente quando utiliza este site.

Cookies Necessários Permitem personalizar as ofertas comerciais que lhe são apresentadas, direcionando-as para os seus interesses. Podem ser cookies próprios ou de terceiros. Alertamos que, mesmo não aceitando estes cookies, irá receber ofertas comerciais, mas sem corresponderem às suas preferências.

Cookies Funcionais Oferecem uma experiência mais personalizada e completa, permitem guardar preferências, mostrar-lhe conteúdos relevantes para o seu gosto e enviar-lhe os alertas que tenha solicitado.

Cookies Publicitários Permitem-lhe estar em contacto com a sua rede social, partilhar conteúdos, enviar e divulgar comentários.